Critérios para Escolha da Cortina e do Tecido IdealPostado em 01/08/2011

"Decorar é harmonizar forma, luz e cor. É trazer o belo através do útil."

As Cortinas fazem mais do que simplesmente levar privacidade aos ambientes e protegê-los dos raios solares. Elas fazem parte da decoração!

Por esta razão, é importante acertar no modelo e na escolha do tecido que mais tem a ver com o seu estilo e decoração:

O primeiro item a considerar é o tipo de tecido para confecção da cortina. Em geral, tecidos como sedas, cetins e brocados são mais indicados para ambientes suntuosos com cortinas fartas e pé direito alto. Atualmente, rendados são mais utilizados em cozinhas, apenas para dar um toque decorativo.

Já os tecidos como voils, algodões, linhos, cambraias, tafetá e poliéster servem para qualquer ambiente em que se deseja decorar, proteger e dar privacidade ao ambiente.

Os tecidos pesados como veludos, brim, linhos bem tramados e até jacquards, servem para aquecer e reduzir o ruído externo. Porém, blackouts também podem ser utilizados com o mesmo fim, se instalados sob tecidos finos.

 

Modelos de Cortinas

 

Prega Americana: ideal em tecidos fluidos e de toque agradável. Adequada para qualquer ambiente e mais indicada em seda, linho e poliéster.

Prega Fêmea: boa em tecidos como seda, linho e voil. Para fazer xales fixos, pode-se usar veludo ou tecidos mais pesados.

Prega Macho: ideal em tecidos naturais como linho e algodão.

Modelo wave (efeito ondulado): fica melhor em tecidos finos e fluidos, como voil. Pode ser confeccionada em trilhos ou no varão (requer mais tecido). 

Franzido: ideal para quase todos os tipos de tecido, exceto organzas, shantung e jacquards.

 

Tecido Ideal para Cortina

 

Linho: tecido bem encorpado, 100% natural, tem bom caimento e harmoniza com o estilo clássico e moderno, proporcionando uma aparência refinada. Atualmente a composição entre linho e poliéster é uma tendência, com boa praticidade e textura.

Poliéster: fica bem em modelos franzidos que pedem muito tecido, além de trazer mais luminosidade e transparência. Atualmente substituto do voil produzido em algodão.

Por se tratar de um tecido sintético, retêm facilmente a poeira. Porém é fácil de lavar e secar, o que o torna bom para ambientes com pessoas alérgicas.

Algodão: possui a vantagem de ter padronagens e cores variadas. Fica bem interessante em quartos de criança, ambientes de campo e de praia. Como o Sol queima o tecido com facilidade, é importante ter um forro ou blackout para barrar os raios.

 

Dicas na Hora da Escolha do Tecido

 

1º) Ao comprar, pergunte se o tecido encolhe na lavagem. Nesse caso, recomeda-se fazer a cortina um pouco mais longa e com mais volume;

2º) Tecidos mais finos requerem uma quantidade maior na confecção da cortina. O recomendado é que sejam utilizados na proporção três por um;

3º) Uma cortina bonita deve apresentar um bom caimento. É importante avaliar se o modelo escolhido corresponde bem com o tecido;

4º) Antes de colocar uma cortina, é preciso considerar três aspectos: se a janela que você vai cobrir dá para uma vista bonita, se possui boa luz e se o espaço do ambiente é grande ou pequeno:

- Caso a vista seja bonita, então evite cores escuras ou que vão esconder a paisagem. Prefira tecidos claros e leves, mas lembre-se de que esses tecidos não impedem a passagem de luz.

- Caso a vista não seja bonita, então o tecido deve ser alegre e de cores vivas, capaz de neutralizar a vista e se necessário, reduzir o barulho da rua.

- Caso o ambiente seja pequeno, então a melhor opção são as cores suaves e os tecidos lisos, listrados ou com pouquíssimas estampas.

- Caso o ambiente seja grande e com teto alto, então a dica são cortinas fartas, com tecidos leves ou pesados, o que melhor harmonizar com o estilo da decoração.

5º) A fim de evitar emendas verticais na cortina, escolha tecidos com largura de três metros.

Av. República Argentina, 1299 - Água Verde - Curitiba | PR
Fones: 41. 3019-5170 | 3078-5171 | 9911-9352